Cidade
Divulgação

 

Helena Marquardt

 

Em Rio do Sul e em outras cidades do Alto Vale um surto de Parvovirose tem causado a morte de dezenas de cães e a Associação Protetora dos Animais Desamparados (Apad) fez um alerta sobre os riscos da doença que é altamente contagiosa.

 

A veterinária Daiana Cristina Feldmann Heinz explica que a Parvovirose, que afeta principalmente filhotes não vacinados, é causada por um vírus que com frequência pode levar à morte.

“Normalmente a contaminação é fecal ou oral, através do contato com as fezes ou com o ambiente contaminado e normalmente atinge os filhotes porque eles tem a imunidade mais baixa”, explica.

 

Ela afirma que o vírus atinge principalmente o intestino, mas também pode afetar o coração causando miocardite e outros problemas. Os cães acometidos podem ter vários sintomas, mas os principais são diarreia, com sangue e cheiro forte, vômito e apatia.A veterinária alerta que a doença não tem um tratamento específico contra o vírus, mas apenas para os sintomas.

“A gente tem as medicações como antibióticos, protetores gástricos e hepáticos e um soro que ajuda na imunidade, além de fazer suplementação, mas não tem um remédio que combate o vírus propriamente dito e o animal se não tratado geralmente vai a óbito”, alerta.

 

O estudante Daniel Packer perdeu o cachorro de estimação nesse mês em virtude da doença. O animal que era um filhote ainda não estava com as vacinas em dia e foi contaminado.

“Ele começou a vomitar, ter diarreia e muita febre, e a princípio não me veio à cabeça que poderia ser Parvovirose, mas em pouco tempo ele já não conseguia mais ficar em pé. Quando liguei para a veterinária ela já teve essa suspeita pelos sintomas e levamos ele para a clínica onde ficou internado três dias, mas acabou não resistindo”, lamenta.

 

A história de Daniel é parecida com a de muitas outras pessoas que perderam os animais de estimação por causa da doença e serve de exemplo para destacar a importância da vacinação, independente de tamanho ou raça.

 

Nesse período de surto os donos de cachorros que frequentam locais públicos como parques devem ter cuidado redobrado, mas a Apad alerta que mesmo animais que ficam apenas dentro de casa podem ser infectados e a única forma de prevenir a Parvovirose e outras doenças como a Cinomose é a vacinação que deve ser feita em três doses.

“E o surto não está em um bairro específico, mas sim em toda a cidade e a região então a situação é muito preocupante e a cada dia temos atendido novos casos”, finaliza o presidente da Apad, Jailson Losi.