Cidade
Foto: Divulgação/ Evento realizado antes da pandemia

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Transtorno do Espectro Autista (TEA) atinge centenas de crianças no Alto Vale e apesar do Dia Mundial de Conscientização do Autismo ter sido celebrado no dia 2, a campanha Abril Azul busca trazer visibilidade para o tema durante todo o mês, como forma de mobilizar a sociedade sobre essa condição ainda desconhecida e discriminada por muitos. Em Rio do Sul, o mês será marcado por uma grande conquista: a instalação de um Centro de Atendimento Multidisciplinar que deve ser aberto até o mês de junho.

Atualmente no Alto Vale a Associação de Familiares e Amigos de Pessoas com Autismo e Deficiência Intelectual e Múltipla (Afadi) reúne mais de 200 famílias que convivem com essas dificuldades diariamente e a entidade luta para que esse público tenha mais oportunidades de desenvolvimento e igualdade, por isso a novidade vem sendo bastante comemorada.

A presidente da (Afadi), Silvane da Silva, destaca que as crianças com autismo necessitam de um atendimento multidisciplinar desde o diagnóstico e com o novo espaço isso será possível. “A Afadi surgiu como um apoio aos pais, familiares e cuidadores, onde se trocam informações, material e se direcionam profissionais, mas o nosso grande sonho sempre foi o atendimento porque a criança que tem autismo precisa de todo um acompanhamento multidisciplinar como fonoaudióloga, neuropsicológa, terapeuta ocupacional e várias outras atividades que são um leque de possibilidades, mas que tem um custo alto. Agora com essa parceria estabelecida com a prefeitura a cidade ganhará um Centro de Atendimento Multidisciplinar”.

O Centro vai funcionar no CEI Favo de Mel que será fechado porque os alunos serão transferidos para a Creche Central que inaugura no dia 15 de abril. No local que ficará vago, vários órgão que podem oferecer atendimentos a autistas e deficientes vão trabalhar de forma unificada. “Como a Afadi não consegue caminhar sozinha já que é uma organização sem fins lucrativos, vamos nos unir ao CAPS, ao Núcleo de Atendimento de Educação Especial, o chamado NAEE e mais a outro órgão que atende crianças com deficiência. Então todos se uniriam num mesmo lugar que atenderia todas as crianças das redes Municipal, Estadual e Particular com todos os profissionais disponíveis no município como psicólogo, pedagoga, pediatra, fonoaudiólogo, terapeutas e tantos outros”, revela Silvane.

O centro terá consultório e diversos espaços diferenciados como uma sala de terapia ocupacional com equipamentos de estimulação sensorial. “Será um espaço muito importante porque muitas famílias tem atendimento por parte do município e condições de oferecer estimulação, mas outras sabemos que não. Além disso, será importante esse atendimento até para o diagnóstico do autismo, muitas crianças têm esse transtorno, mas nunca receberam o diagnóstico”, completa.

Campanha quer combater o preconceito

A presidente da Afadi salienta que campanhas como o Abril Azul são muito importantes para divulgar o transtorno, trabalhar a conscientização e buscar vitórias em relação a políticas públicas, sejam na área da saúde ou educação, por exemplo. “É bom lembrar que o autismo está dentro da lei da deficiência então todos os direitos que têm um deficiente, o autista também tem e vamos abrindo novos projetos de lei que venham facilitar a vida dessas crianças e adultos e despertar na população uma consciência menos preconceituosa porque elas têm condições de serem incluídas a sociedade no meio em que vivemos”, disse.