Cidade
imagem ilustrativa

Cláudia Pletsch/DAV

Em Rio do Sul, 42 caixas de som estão sendo instaladas no Calçadão Osny José Gonçalves e na Praça Ermembergo Pellizzetti. O objetivo é fomentar o varejo que é um dos maiores eixos da economia da capital do Alto Vale, representando 29%. Os equipamentos estão sendo colocados em uma estrutura própria no centro da cidade e servirão para fazer a sonorização do ambiente, principalmente em datas comemorativas.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo Fiamoncini, as 42 caixas de som foram adquiridas com recursos próprios da Prefeitura e tiveram um custo de aproximadamente R$17 mil. Os equipamentos da marca Frahm do modelo “outdoor” que pode ser instalado em áreas externas, em qualquer ambiente que não seja coberto pois é desenvolvido com material resistente, que protege da exposição ao sol, vento ou chuva sem danificar ou prejudicar a qualidade e estética.

Paulo Fiamoncini diz que o objetivo é criar um ambiente agradável, sobretudo nas datas comemorativas. “Principal eixo econômico de Rio do Sul é o varejo, então é uma forma de mostrarmos o nosso carinho e cuidado com o varejo. O objetivo é valorizar cada vez mais as datas comemorativas que temos aqui na cidade, por exemplo vamos ter a Páscoa e durante o mês da Páscoa vamos estar ligando músicas da Páscoa. Dia das Crianças, e outras datas também, vamos criar o clima da data através dessa sonorização”, comenta.

A inauguração da sonorização vai ser realizada durante o mês de abril e ainda não tem uma data estimada. Paulo garante que o som será ambiente e que não irá atrapalhar o atendimento nas lojas. “Com isso a gente faz com que as pessoas se sintam mais acolhidas, mais confortáveis e entrem no clima da data, as vezes sendo dia das mães ou dia dos namorados. Esse som vai ficar ambiente, não vai competir com nenhum meio de divulgação”, avalia.

Mariana Petry é gerente de uma loja que fica no Calçadão Osny José Gonçalves, ela diz que a apreensão é com o atendimento dos clientes, mas acredita que se for bem administrada, a sonorização será um atrativo e poderá fomentar as vendas. “Precisa ser bem cuidado e utilizado, pois dependendo da altura que está o som pode incomodar quem está dentro das lojas, pode interferir no atendimento. Mas se for bem utilizado como em galerias e shoppings, eu acho que talvez seja interessante. Acredito que possa sim ajudar a fomentar as vendas pois vai criar um sentimento, vai lembrar as datas comemorativas e as pessoas vão lembrar de quem elas precisam presentear”, comenta.

Além do Centro, a rua Carlos Gomes também deverá receber a sonorização ainda nesse ano.