Esporte
Foto: Divulgação

No último fim de semana, a Capital do Alto Vale foi representada por oito mesatenistas em Florianópolis. A competição é válida pela segunda etapa do Circuito Catarinense de Tênis de Mesa e também soma pontos no ranking para a seleção catarinense. Entre os participantes esteve a Ranifer Meurer, Maria Souza, Oliver Neves, Gustavo Soares, Lucas Gaspar, Rubens Rodrigues, Emily Montagna e a Mahayla Aimê Sardá que venceu a competição pela categoria sub-13, bem acima da idade e com isso, ainda garantiu a liderança no ranking estadual da modalidade.

De acordo com o técnico dos atletas, Gilberto Sardá, o Giba, a Associação foi muito bem representada pelos atletas. “A Ranifer jogou muito bem pela categoria adulto e conquistou a medalha de bronze, o Oliver também garantiu o bronze pelo sub-13. Já o Gustavo chegou até as quartas de final, mas não obteve classificação, enquanto o Lucas acabou sendo eliminado também nas quartas de final. Quem também não conseguiu bons resultados foram a Maria e Emily, porém assim como os demais atletas realizaram ótimas disputas sempre em busca da evolução e aprendizado em quadra”, contou.

Giba ainda destaca que a Mahayla melhorou muito o desempenho técnico nas disputas. “Na primeira etapa do Catarinense que foi realizada em Videira, a Mahayla terminou em segundo lugar, já neste fim de semana ela jogou muito bem e mereceu o título. Ela enfrentou adversárias mais velhas, mais altas e mesmo assim foi para cima em busca do seu grande objetivo, a vitória. Agora, com esse resultado, vamos focar para os próximos confrontos do estadual e permanecer com boas conquistas”, destacou.

Já que a menina prodígio do Alto Vale já está conquistando o espaço nas competições, as boas notícias não param. Com essa evolução, a rio-sulense recebeu convocações para integrar a Seleção Brasileira, porém para representar o país, a jovem precisa manter bons resultados. “A Mahayla ficou em primeiro lugar no ranking por Santa Catarina e conquistou duas medalhas de ouro. Antes do campeonato eu disse para ela que se ela fosse campeã, eu tentaria uma vaga para ela disputar o Sul Americano no Equador. Após a vitória, ela veio até mim e disse que agora ao conquistar a liderança no ranking e ser a campeã da segunda etapa ela poderia ir para o Equador. Mandei o nome dela para a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa e agora é aguardar até esta quarta-feira (17) para saber se ela foi uma das quatro atletas escolhidas para representar o Brasil”, enfatizou.

Jéssica Sens