Economia

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Expandir o próprio negócio é o sonho da maioria dos empresários e em Rio do Sul essa já é a realidade de algumas empresas do setor de fast food. É que o rio-sulense, Higor Maciel Borges inovou ao criar uma empresa de logística que garante um serviço de delivery com mais eficiência e economia aos estabelecimentos que atende na cidade. A intenção do empresário agora é aumentar o número de clientes e disponibilizar os serviços em outros municípios.

Tudo começou há muitos anos, Higor era proprietário de uma pizzaria e a maior dificuldade era na contratação de motoboys para fazer entregas. Então, ele viu no problema uma possibilidade de mercado e decidiu vender tudo para investir nessa nova ideia. Ele conta que tudo começou observando os serviços de uma multinacional, que possuía uma ferramenta para entregas de todos os restaurantes da cidade com apenas um grupo de entregadores. Então resolveu criar um aplicativo de logística que oferecesse eficiência e economia aos donos de restaurantes que trabalham com delivery. A iniciativa rendeu e hoje a G LOG já atende diversos estabelecimentos.

“Eu atendo 20 restaurantes em Rio do Sul. Cada empresa precisaria ter no mínimo um motoboy, outras mais. Mas nós atendemos todos os estabelecimentos com 14. Nosso objetivo é levar essa confiança para o empresário. Por exemplo, se um restaurante manda 10 entregas em bairros diferentes, a gente vai lá e entrega tudo rapidinho. Temos clientes como Casa do Pão, Azeite de Oliva, Melanzane, e todos prometem 35 minutos de entrega. A gente trouxe uma boa logística para as empresas, onde elas não precisam ficar presas a vínculos trabalhistas ou a apenas um motoboy. É fast food de verdade na casa do cliente”, destaca.

O empresário ainda comenta que atualmente o mercado de delivery cresce muito e que todos os estabelecimentos parceiros estão crescendo em média 10% ao mês em razão da facilidade e rapidez nas entregas.

“Estamos aqui querendo fazer as empresas crescerem porque também dependemos do resultado delas. A gente faz isso acontecer, trouxemos crescimento e economia para os restaurantes competirem nesse mercado disputado que é o delivery. Hoje a gente é parceiro da Pechincha da Hora e IFood. Pechincha da Hora nós fazemos todo o controle administrativo de vender e no Ifood somente integração, porque vendeu no Ifood já vai para o nosso painel e ficamos o tempo inteiro olhando para direcionar os entregadores. A gente sempre tem entregadores disponíveis. Os restaurantes só precisam vender, porque nós oferecemos uma boa logística”, enfatiza.

Segundo Higor, além da GLOG que trabalha apenas no ramo logístico de entregas de restaurantes, outras startups já estão em funcionamento. É o caso dos marketplaces, Pechincha da Hora e Super Poupa e a agência de serviços Hi-Goo. “A Pechincha da Hora é uma concorrente do Ifood, integrada com a G log, onde eles cobram 12%, nós cobramos só 8%. Também não precisa ter motoboy, então se empresários quiserem vender marmita, por exemplo, tendo CNPJ, liberação da Vigilância Sanitária, tudo certinho, a gente instala o Pechincha da Hora, que é marketplace e já leva a logística para o cliente”.

Já o Super Poupa é uma plataforma para supermercados que leva comodidade e economia para o proprietário e quem está em casa. Diferente de outras plataformas onde uma grande porcentagem para entrega e comissão é cobrada do cliente, no Super Poupa a pessoa paga apenas R$1 por entrega.

“O super Poupa é uma plataforma de supermercados, que leva mais comodidade e economia para quem está em casa, porque não precisa mais sair de casa, a gente compra e entrega. O Super poupa a gente cadastra 10 supermercados e não cobramos comissão do proprietário, apenas R$1 por entrega. No Ifood, por exemplo, a comissão cobrada é de 17%, um valor alto, em uma compra de R$100 a pessoa pagaria R$117 por conta da comissão. Isso também acabaria descaracterizando os preços do supermercado, no nosso aplicativo os produtos ficam com o preço mais justo porque não precisam pagar essa comissão. É uma ferramenta boa para o supermercado e para o cliente. O estabelecimento recebe o pedido no painel, separa, recebe o pagamento, o entregador coleta o pedido e faz a entrega”, explica.

A Hi-Goo é a startup mais recente e que ainda está sendo desenvolvida, mas é voltada ao ramo de serviços. O objetivo é unir quem precisa trabalhar com pessoas que querem contratar. “Juntamos quem precisa do serviço com que precisa trabalhar. Temos cadastrados garçons, chapeiros, frentistas, motoboys. A gente dá uma identidade para essa empresa e ela vira parceiro exclusivo e quando alguém buscar por algum serviço, nós teremos indicações.  Uma agência de Serviços”.

Questionado sobre os planos para o futuro, ele afirma que quer desenvolver cada vez mais as startups e expandir o trabalho consolidado da G LOG para outros municípios além de Rio do Sul e Balneário Camboriú.

“Estamos fazendo grandes investimentos na empresa, mas buscamos um anjo investidor, abrimos essa porta, e já temos um modelo de trabalho pronto para apresentar. Pretendemos também expandir a G LOG para outros municípios do Alto Vale e buscamos parceiros para isso, líderes. Se alguém tiver interesse em colocar a G LOG a trabalhar na sua cidade é só falar comigo através do telefone (47) 9 99880970”, finaliza.