Alto Vale
Trecho onde houve o deslizamento - Foto: Airton Ramos DAV

Em fevereiro, o Jornal Diário do Alto Vale noticiava a aproximação do fim da discussão para a conclusão das obras na rua Rui Barbosa, em Rio do Sul. Na oportunidade, o Governo do Estado havia autorizado a empresa Votorantim, que possui unidade em Vidal Ramos e utiliza a via como trajeto de seus veículos pesados, a terminar os trabalhos no local. Os cerca de R$ 780.000 para custeio da operação anunciados na época seriam deduzidos de obrigações fiscais da empresa.

Agora, seis meses após este fato, foi anunciado o fim da parceria público-privada, que deixa a questão sem ser finalizada. O impasse já dura ao todo um ano e meio, quando ocorreu um deslizamento no trecho entre duas lombadas, e que impossibilitou a construção de calçada, além de ter depositado grande quantidade de detritos no Rio Itajaí do Sul.

O secretário da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Rio do Sul, Ítalo Goral, disse em entrevista ao Jornal Diário do Alto Vale na tarde desta sexta-feira (11) que o valor estimado poderia passar de R$ 1 milhão, e o Governo julgava esse montante fora do orçamento para esta realização. “A parceria foi finalizada, até mesmo porque já acabou o prazo, foram feitos todos os aditivos de contrato, e ainda falta o Estado pagar R$ 80 mil daquele convênio, referente a ‘capa’ ali que caiu entre as duas lombadas”, explicou Goral.

Com o fim do primeiro convênio, agora um segundo processo será trabalhado para que o empreendimento saia do papel. “Agora o Deinfra [Departamento Estadual de Infraestrutura] vai me passar o quantitativo de tanto de material que tem que tirar do rio, o muro que tem que fazer. Vão me passar uma situação do que precisa ser feito, para eu poder orçar com mais três empresas ali, porque até agora no processo só existe a Setep [empresa que iniciou a obra na rua], ela até pode ganhar de novo a licitação”, afirmou o secretário.

A ADR aguarda então este estudo para realizar a licitação, porém, ainda não define um prazo para a conclusão da rua Rui Barbosa. “Agora eles provavelmente vão descentralizar o recurso para a ADR e eu vou executar por lá. Não tem mais nada a ver com Votorantim, Setep, Prefeitura e Deinfra. Eu não gosto de estar especificando prazo para a entrega, pois na gestão pública tudo depende de recurso, mas é do nosso interesse terminar a obra. Para nós, a obra está inacabada, apesar do Governo ter cumprido a parte dele”, concluiu Goral.
Obras na Rui Barbosa

A obra total que contemplava o asfaltamento de 1,8 quilômetro de extensão, reconstrução da rede de distribuição de água, drenagem pluvial, ciclovia e sinalização, tendo sido orçada pelo Governo do Estado em R$ 3.457.541,73 seria uma colaboração entre o Governo, o Município de Rio do Sul e a empresa Votorantim.

A revitalização da rua Rui Barbosa deveria ter sido entregue em março de 2016 e era executada pela Setep Topografia e Construções, de Criciúma. No período da construção de um muro de contenção no trecho houve um deslizamento de terra.
Na época o secretário da ADR de Rio do Sul chegou a informar que todas as desapropriações no local já haviam sido feitas e que o muro de contenção estava em construção, por conta de outros deslizamentos que já tinham ocorrido e provocaram o estreitamento da pista.

                                                                                                                                                                                                                                                        Airton Ramos