Alto Vale
Foto: Divulgação

O município de Salete ficou com a segunda colocação no estado e com o oitavo lugar nacional no Índice de Governança Municipal 2021 (IGM-CFA) do Conselho Federal de Administração. O indicador, calculado desde 2016 pelo Conselho Federal de Administração (CFA), leva em conta três dimensões da Governança Pública: finanças, gestão e desempenho. 

Salete disputou com 1.890 cidades do Brasil e obteve nota 7,8 entre aquelas com população até 20.000 habitantes e PIB per capita acima de R$ 16.349.  Além da vice-liderança entre as cidades de Santa Catarina na mesma categoria, Salete foi a oitava cidade mais bem avaliada em todo o País. 

A prefeita Solange Schlichting (Chica), comemorou o resultado divulgado pela Federação de Administradores do Brasil. Ela destacou o trabalho da equipe de servidores. “Isso é um resultado da gestão, da equipe de secretários e todos os colaboradores da prefeitura,  o investimento em inovação, capacitação de pessoas, na transparência e na honestidade”, destacou  a prefeita. 

Chica também relatou a importância da experiência administrativa no setor privado, onde muitas ações foram implantadas na administração pública de Salete. “Focando sempre em fazer o melhor, seguir o que é certo para que o povo veja o quando a gente se dedica para melhorar a vida das pessoas. É só através de muito trabalho que se consegue esse resultado”. Finalizou a prefeita. 

O Índice de Governança Municipal (IGM-CFA) foi elaborado a partir de dados secundários e considera áreas como saúde, educação, saneamento e meio ambiente, segurança pública, gestão fiscal, transparência, recursos humanos, planejamento e outras. 

O IGM se destaca e se diferencia de todos os demais índices já utilizados no contexto brasileiro para medir a performance municipal, por ter uma visão mais ampliada sobre as dimensões da gestão pública fiscal e desempenho e será atualizado anualmente.

IGM-CFA consiste em uma métrica da governança pública nos municípios brasileiros a partir de três dimensões: Finanças, Gestão e Desempenho.

Foi elaborado a partir de dados secundários e considera áreas como saúde, educação, saneamento e meio ambiente, segurança pública, gestão fiscal, transparência, recursos humanos, planejamento e outras.

A partir da construção de extenso banco de dados municipais, que foram extraídos de bases públicas como STN, IBGE, PNUD e DATASUS, realizou-se priorização de indicadores e variáveis e, em seguida, por meio de tratamento estatístico, foi possível gerar um resultado para cada dimensão e para o Índice. Assim como boa parte de suas fontes, o IGM será atualizado anualmente.

Nesse sentido, o Índice CFA de Governança Municipal se destaca e se diferencia de todos os demais índices já utilizados no contexto brasileiro para mensuração da performance municipal uma vez que contempla uma visão mais ampliada sobre as dimensões da governança pública, e em especial, sobre a relação entre a dimensões fiscal, gestão e desempenho.

Lançado em 2016, o Índice CFA de Governança Municipal (IGM-CFA) foi criado com o intuito de auxiliar gestores públicos a entender, através de dados consolidados, quais seriam as possíveis oportunidades de melhorias em seu Município.

A estrutura do IGM/CFA é baseada na análise de dados brutos chamadas de Variáveis, cuja média serve de base para a criação dos Indicadores. As médias dos indicadores criam as Dimensões e a média das dimensões criam a nota geral do IGM/CFA.

O IGM-CFA, está disponível para consulta em dois formatos: consulta via website e baixando uma planilha em formato Excel, disponível no ambiente do Acesso Exclusivo.

O Índice de Governança Municipal (IGM) é elaborado pelo Conselho Federal de Administração (CFA)

(IGM-CFA)

Por meio da ética, competência, inovação, valorização da profissão e participação, o Sistema CFA/CRA busca promover a Ciência da Administração, valorizando as competências profissionais, a sustentabilidade das organizações e o desenvolvimento do país.

A partir destes valores, objetiva-se a partir do desenvolvimento do Índice de Governança Municipal expandir o debate sobre a importância da gestão para a promoção do desenvolvimento municipal.

Nesse contexto, o Índice será utilizado para reconhecer, registrar e disseminar as boas práticas de gestão brasileiras por meio de publicações, eventos e prêmios.