Estado
Foto:Caio Souza-Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/ DAV

Se você achava que o frio já tinha acabado, pode pegar os casacos pesados de volta porque a previsão para os próximos dias é de neve no estado. Depois de um veranico, as temperaturas caem novamente e há chances de acúmulo significativo na região serrana em virtude de uma massa de ar polar no sul do Brasil.

De acordo com a Epagri/Ciram, há condições para neve nas áreas mais altas de Santa Catarina. O fenômeno pode ocorrer entre a noite de quinta-feira (20) e manhã do sábado (21). O meteorologista Marcelo Martins diz que a neve vai aparecer em pontos isolados, sobretudo nas áreas mais altas, acima de 700 e 800 metros. Os municípios no Planalto Sul, como São Joaquim, Urupema e Urubici, são os mais propícios para ocorrência do fenômeno, por serem os de maior altitude, registrando as mais baixas temperaturas.

Os termômetros deverão registrar mínimas negativas até o final da semana. Ainda de acordo com a Epagri/ Ciram, as temperaturas já começam a cair na noite de hoje (19), após a passagem de chuvas e temporais. Os acúmulos mais significativos devem se concentrar especialmente no Planalto Sul, mas a possibilidade se estende por outras regiões.

Se a neve prevista se confirmar nos próximos dias, será a primeira de 2020 no estado. O último registro foi em 2 de agosto de 2019, em São Joaquim. Já o evento com maior acúmulo ocorreu entre os dias 22 e 25 de julho de 2013 e foi considerado histórico pela espacialidade e abrangência do fenômeno. Na ocasião, grande parte das regiões catarinenses, quase 100 municípios registraram neve, o que representou cerca de 30% das cidades do estado. O fenômeno ocorreu até mesmo nas regiões do Vale do Itajaí e Grande Florianópolis, onde os registros são raros, pela proximidade com o litoral.

Turismo na Serra Catarinense

A região serrana é alvo de muitos turistas no inverno, principalmente quando a previsão é de neve. Em meio à pandemia, os municípios pertencentes à Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures) foram considerados com potencial de risco gravíssimo em relação à propagação do coronavírus. Para evitar a contaminação, algumas cidades estão com pontos turísticos fechados ou com restrições de visitação. Além disso, há limitação em 50% da ocupação máxima nos hotéis e restaurantes, uso de máscaras e distanciamento de 1,5 metro.
Segundo a assessora de Turismo da Amures, Ana Vieira, o ideal é que os visitantes façam reserva antes de viajar, porque os estabelecimentos hoteleiros estão com capacidade reduzida. “A gente alerta para que venham preparados com reservas e tenham cuidado com as rodovias, já que elas podem ficar lisas. Vai ser muito frio”, orienta.

Em Urupema os pontos turísticos, como o Morro das Torres e a Cascata que congela permanecem fechados até o dia 31 de agosto. Em Urubici e São Joaquim, os pontos estão abertos, mas há restrições sanitárias.