Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A agricultura representa uma das maiores fontes de renda da região. Em Ituporanga, por exemplo, as produções do tabaco e da cebola são bastante grandes e dão sustento para centenas de famílias. A fim de avaliar demandas, o secretário de Agricultura do Estado, Altair Silva visitou Ituporanga, elogiou agricultores e prometeu ajuda.

Além das demandas de Ituporanga, prefeitos de outras cidades também foram até Ituporanga para apresentar suas reivindicações. O secretário ouviu os prefeitos e disse que a Secretaria de Agricultura está fazendo um cadastro para realização de um grande investimento em máquinas e equipamentos agrícolas. “Recebemos a solicitação de equipamentos para serem utilizados por grupos de produtores, a Secretaria da Agricultura está fazendo um cadastro para realizarmos uma grande compra e fazer esse investimento em máquinas e equipamentos agrícolas através das associações de produtores rurais e também a questão dos poços artesianos, a política de investimento do Estado para priorizar a construção de poços artesianos no interior”, afirma.

Altair também comentou a produção de fumo e cebola enfatizando as dificuldades enfrentadas especialmente por fumicultores nesta última safra. “Com a vinda da pandemia, a população ficou preocupada com o fumo, muitos que eram fumantes deixaram de fumar pela preocupação com a covid, a cadeia produtiva tem sido bastante afetada a nível mundial, preços têm sido baixos e é um setor que precisamos ajustar. A cadeia da cebola é uma referência, a Epagri desenvolveu cultivares melhores com mais aceitação pelo nosso consumidor, a cebola é muito aceita em nível de Brasil, estamos comercializando a safra a um preço competitivo e vamos ter um resultado econômico muito favorável”, declara.

Além dos pedidos por equipamentos agrícolas, necessidade de investimento em armazenamento de água, internet e rede de energia, o secretário afirmou que deve intermediar uma conversa com o Ministério do Trabalho para construção de um entendimento. “Eu vou marcar uma audiência com o Ministério do Trabalho para nós construirmos uma conciliação e construirmos um entendimento através do diálogo para que possamos criar mecanismos em conjunto para evitar essa punição e trabalharmos em harmonia. Eu sei que é uma questão que não depende da Secretaria de Agricultura, mas o secretário pode ser um intermediador para buscar essa conciliação”, destaca.

Por fim, ele elogiou os agricultores e disse que a cidade é linda, cheia de “agricultores muito caprichosos, vocacionados, que fazem embelezamento da propriedade, da casa, do jardim, que cuidam da natureza, estão de parabéns”.

O idealizador do encontro entre o secretário e lideranças da região foi o prefeito de Ituporanga, Gervásio Maciel. Ele destaca a importância da agricultura para a economia não apenas da cidade, mas de toda a região. Ele quer dar prioridade á outras formas de geração de renda para os produtores. “Nós resolvemos perguntar ao Altair Silva se ele aceitava trazer aqui mais oito municípios da região da cebola para discutir juntos uma solução para o problema da produção de tabaco. Temos que criar alternativas para que o nosso agricultor possa ter paralelamente outras atividades para melhorar sua receita. Nós lutamos, tivemos uma boa reunião, cada prefeito pode falar em favor do seu município e o secretário mostrou um domínio da pasta porque é um homem que veio da agricultura, é técnico agrícola, empresário bem sucedido, conhece o nosso estado e toda a burocracia que precisamos enfrentar. Ele deu uma sensação de esperança de que a secretaria da Agricultura vai ajudar os nossos agricultores, que tanto precisamos proteger”, finaliza.

Ações de apoio aos produtores rurais

Durante a reunião, os produtores rurais puderam conhecer melhor os programas e projetos que podem apoiar investimentos na melhoria da produção de cebola em Santa Catarina. “O trabalho da Epagri também é fundamental para o desenvolvimento de material genético, com novas cultivares de cebola, assistência técnica e manejo, que são essenciais para que tenhamos melhores resultados na redução de custos de produção e mais rentabilidade para os produtores do Alto Vale”, ressalta o secretário adjunto da Agricultura Ricardo Miotto.

Os agricultores têm acesso a financiamentos do crédito rural, como o PRONAF, que lhes permite acessar ao PROAGRO e também ao Seguro Rural, de modo a reduzir os riscos econômicos causados por problemas climáticos. Os produtores também podem contar com o apoio de financiamentos sem juros via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) para fortalecimento da produção agropecuária, melhoria do processo produtivo, agregação de valor e inovações. Os recursos podem ser utilizados também para aquisição de bens, insumos e serviços.

Para minimizar os impactos da estiagem em Santa Catarina, os produtores podem acessar ainda novos projetos de apoio à construção de estruturas de captação e armazenagem de água e irrigação. A Secretaria oferece tanto financiamentos sem juros quanto subvenção aos juros de financiamentos contratos junto às instituições bancárias.

Os produtores interessados em participar dos programas da Secretaria da Agricultura devem procurar a Epagri do seu município.

Produção de Cebola

Santa Catarina responde por aproximadamente 30% da produção brasileira de cebola e boa parte das lavouras está concentrada no Alto Vale do Itajaí. Os agricultores das regiões de Ituporanga e Rio do Sul mantêm cerca de 9 mil hectares plantados e esperam colher 190 mil toneladas de cebola nesta safra.  Segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Jurandi Gugel, nas duas regiões, a  safra teve perdas de aproximadamente  de 70 mil toneladas em relação à estimativa inicial de safra devido, principalmente, aos estragos causados pelo granizo e estiagem.

A atividade foi impactada em 2020 também pela Covid-19, especialmente no primeiro semestre, período de plantio das lavouras, quando há necessidade de contratação de mão-de-obra. “Embora tenhamos registros de perdas ocasionadas pelos problemas climáticos, a safra é considerada boa nos aspectos da qualidade sanitária dos bulbos, permitindo, na maioria das propriedades, condições de armazenagem por maior tempo e, dessa forma, possibilitando ao produtor avaliar quando comercializar a produção, visto que o mercado se mantém aquecido”, explica.