Cidade
Foto: Divulgação

Apesar de 2020 ter sido marcado pela redução da atividade econômica e temor de queda de desempenho das empresas por causa da pandemia da Covid-19, alguns índices locais já divulgados mostram que Rio do Sul se adaptou bem às adversidades e teve, inclusive, desempenho melhor do que em outros anos.

O volume de novos empregos formais gerados e, consequentemente, saldo entre contratações e demissões, foi o melhor desde 2012. Foram 744 vagas abertas com carteira assinada a mais do que o número de demitidos. Os números são oficiais, fornecidos pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Os setores que mais geraram novas vagas foram a indústria (365 vagas de saldo positivo) e o de serviços (236 vagas). O comércio também teve desempenho maior entre contratações e demissões (127 vagas). Há em Rio do Sul 24.412 pessoas com emprego formal em Rio do Sul.

Em um ano, a Capital do Alto Vale subiu da 39ª para a 20ª colocação entre os municípios catarinenses com melhor saldo de novos empregos no Estado. Em nível nacional, a cidade também melhorou seu desempenho, saindo da posição de número 340 para a de 172.

O número de empresas abertas na cidade também foi positivo, com 1.293 novos CNPJs registrados. O número de baixas foi de 465, gerando saldo de 828, o que configura o melhor desempenho histórico da cidade. Os dados são da Secretaria de Administração e Fazenda da Prefeitura de Rio do Sul.

As empresas rio-sulenses que exportam tiveram uma movimentação financeira 24,28% maior do que em 2019, superando os 117 milhões de dólares arrecadados, melhor desempenho desde 2014, isso de acordo com dados do Ministério da Economia.

Carnes, máquinas e equipamentos, artigos de madeira, manufatura de tabaco são os produtos de maior valor negociado. Os principais países que compram produtos das empresas rio-sulenses são a China, Emirados Árabes Unidos, Bolívia, Bélgica, Estados Unidos, Argentina, Uruguai e Filipinas. E o número de empresas exportadoras também cresceu, passando de 26 para 32.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo José Fiamoncini, ressalta que a geração de empregos em Rio do Sul passou por situação de contrastes, com alto número de demissões, principalmente entre março e maio do ano passado. Mas depois as empresas se adaptaram às necessidades impostas pela pandemia e voltaram a contratar.

Já o prefeito José Thomé comemora o fato de bons índices estarem sendo apresentados, mesmo em um ano que poderia ser de grande redução de volume de negócios. “Temos em média 3,5 empresas sendo abertas por dia em Rio do Sul. Isso é excelente e mostra que há demanda por serviços ou por produtos em Rio do Sul. Mesmo algumas delas sendo através de Micro e Pequenas Empresas, é sinal de que há formalização de empresas, que geram empregos, arrecadam e fazem a economia girar cada vez mais rápido e de forma mais consolidada”, observa Thomé.

Emprego formal em 2020 em Rio do Sul

Admissões: 12.042

Desligamentos: 11.298

Saldo: 744

Colocação no Brasil: 172º

Colocação em Santa Catarina: 20º

Empresas ativas ao final de 2020

Empresas abertas: 1293

Empresas fechadas: 465

Saldo: 828

Total de empresas ativas em Rio do Sul até 31 de dezembro: 8.900