Geral
Imagem: Mercado e Consumo

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Golpes através da internet estão se tornando cada vez mais comuns, principalmente envolvendo whatsapp. Os golpistas clonam o número e pedem ajuda para os contatos com valores em dinheiro. Em Bom Retiro, uma jovem relatou que os supostos criminosos teriam enganado ela e o sogro para garantir que ninguém desconfiasse de nada. Além dela, a cunhada e uma tia de Chapadão do Lageado também foram contatadas. Ao todo, o prejuízo foi de aproximadamente R$ 2000.

Mariane Schmitz Deucher conta que recebeu uma mensagem do número de um familiar, tio do marido. Sem saber que o número havia sido clonado continuou auxiliando a pessoa. Os golpistas também teriam entrado em contato com o sogro dela, que pediu inocentemente que ela o ajudasse a fazer o pagamento através do pix. “Recebi uma mensagem do tio do meu marido. O celular dele havia sido clonado e ninguém sabia. Ele entrou em contato comigo para que eu pudesse auxiliar para fazer a chave pix que ele não tinha ainda. Passei todas as orientações que eu tinha e no mesmo momento meu sogro também veio conversar comigo para que eu pudesse ajudar o irmão dele, que é o tio do meu marido. O meu sogro também foi enganado, o golpista entrou em contato comigo e com meu sogro e por isso não desconfiei de nada. Meu sogro e o irmão dele trabalham na mesma empresa pensei que realmente fosse um pagamento para ser realizado”, conta.

Após algum tempo auxiliando o “tio”, ele disse que não estava conseguindo fazer a chave de acesso do pix e pediu que a vítima de 26 anos fizesse um pagamento para ele já que precisava pagar um suposto boleto que estaria vencido, a jovem sem desconfiar de nada assim o fez. “No final ele disse que não estava conseguindo fazer a chave de acesso do pix e que então eu deveria pagar um boleto que havia vencido e esse pagamento seria através do pix. Eu faria a transferência para a conta de Daiane Cristina Souza. Fiz uma transferência de R$1.135 e ele me pediu o comprovante. Eu enviei. Depois ele me pediu mais R$230, disse que não tinha esse valor, me perguntou quanto eu tinha, eu disse que tinha R$100, me solicitou mais uma transferência via pix para a mesma conta e eu transferi”, afirma.

Após fazer transferências totalizando R$ 1.235, a jovem ficou sabendo através do grupo da família no aplicativo, que o número do tio do marido havia sido clonado e se deu conta que foi vítima de um golpe virtual. “A minha cunhada também fez um pix de R$750. A irmã do tio do meu marido que mora em Chapadão do Lageado também recebeu uma mensagem, mas como não teve tempo no momento para atender, ela pediu um áudio para conversar melhor e então o golpista não enviou e ela não perdeu nenhum valor. As únicas pessoas prejudicadas foram eu e minha cunhada”, diz.

Questionada sobre providências, ela afirma que quando ficou sabendo procurou a delegacia do município . “A gente ficou sabendo que era golpe umas 18h30 da tarde. A delegacia de polícia fica em frente a minha casa e eu fui até lá para fazer o boletim de ocorrência, mas por conta do horário eles disseram que eu deveria fazer de forma virtual. Fiz o BO e agora vamos aguardar”, esclarece.

Sobre o golpe, ela disse que não desconfiou nem por um momento, já que usaram duas pessoas. “Foi algo que nunca imaginei que fosse um crime, inclusive o modo como eles escreviam era muito parecido com o tio do meu marido”, completa.