Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Aos poucos o Alto Vale e Santa Catarina vão deixando para trás a fase mais crítica da pandemia, as mortes diárias e hospitais superlotados passam a ser apenas uma lembrança triste que vem dando lugar à comemoração sobre a queda no número de casos de covid e consequentemente de óbitos. Porém autoridades de saúde alertam para o grande número de pessoas que recusaram a imunização ou não completaram o esquema vacinal, o que pode trazer novamente o pesadelo a tona como já vem ocorrendo em alguns países e estados.

A responsável pela imunização na Gerência Regional de Saúde, Josiane Verdi Schaade, afirma que o Alto Vale é uma das regiões de Santa Catarina com maior percentual de faltosos. “Quanto ao número de pessoas que se negaram a tomar a vacina não temos acesso, mas sabemos que bastante gente está atrasada com a vacinação ou faltou. Não sabemos porque esse número é tão alto, mas acreditamos que muitos ainda tenham medo ou acabaram relaxando porque tivemos uma melhora, mas a situação pode voltar a piorar”, ressaltou.

Segundo dados divulgados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC), no Estado 593.586 pessoas não retornaram para tomar a segunda dose da vacina conforme o período recomendado pelo fabricante. Desse total 164.738 pessoas deveriam ter sido imunizadas com a AstraZeneca, 145.077 com a Coronavac e 283.771 com a Pfizer.

Em Rio do Sul por exemplo, novembro teve queda de 40% nos casos positivos de Covid-19 em relação ao mês de outubro, passando de 134 para 80 casos. Comparado a março, quando a cidade registrou recorde de novos doentes, 1.635, a queda é de 95%. No município o avanço da vacinação também influenciou na redução de internações, mas as autoridades mantêm prudência sobre cuidados essenciais.

A secretária de Saúde, Roberta Hochleitner, afirma que esta redução mostra que a vacinação deu certo na cidade, ajudando a reduzir o risco de contaminação e contribuindo para que as decisões de liberação de atividades fossem possíveis pelo Governo de Santa Catarina. No Alto Vale do Itajaí, por exemplo, a quantidade de novos casos em novembro foi 41% menor do que o registrado em outubro. Desde julho, a tendência é de queda em todas as situações na região, como óbitos e novas infecções.

“A redução pode se dever a diversos fatores, mas sem dúvida, com o avanço da vacinação, os números caíram de uma forma bastante proporcional. Isso nos dá muito otimismo, pois a quantidade de pessoas doentes dá um grande alívio para os serviços de saúde e tira um grande medo da comunidade”, explica.

Apesar da queda geral dos números, ela afirma ainda que é importante que as pessoas continuem se cuidando de maneira geral e que todas sejam imunizadas. “Reforçamos também para aquelas pessoas que eventualmente ainda não se vacinaram ou aquelas que já estão no prazo de segunda ou terceira dose, que procurem nossas unidades de saúde o quanto antes”, ressalta.