polícia
Foto: Divulgação

Reportagem: Kelley Alves

As brigas eram constantes. A maioria porque o homem, suspeito de matar Cícera Raquel da Silva, de 17 anos, que estava grávida de sete meses, bebia constantemente e era cobrado por mais presença, já que passava muito tempo em bares e alcoolizado. Sobre a motivação do crime, foi esse o teor do depoimento, registrado pelo delegado da comarca de Braço do Norte, Marcelo Bitencourt. Segundo ele, o suspeito confessou o crime e alegou que estava embriagado e disparou o tiro após uma discussão acalorada.

Ele também confessou que a enteada, um bebê de um ano, presenciou o feminicídio. “Ele estava bastante comovido durante a oitiva. Alegou que se excedeu depois da briga e acabou atirando. Confirmou que, após o crime, teria deixado a arma no local e, depois, fugiu para Braço do Norte, onde permaneceu na casa de parentes”, revelou o delegado, durante entrevista exclusiva ao Jornal Diário de Notícias.

Arma não era licenciada e mulher discordava

Ainda segundo o Bitencourt, o motivo da discussão também foi por que a mulher não concordava com a arma guardada em casa e que ele havia comprado há dois meses.

O revólver calibre 38, segundo a autoridade policial, não tinha registro e o homem alegou que comprou “para se proteger da violência urbana”. Todas as informações da oitiva serão enviadas para Rio do Sul, que é responsável pelas investigações.

Da fuga até a prisão

O homem chegou a Braço do Norte no dia 7 de fevereiro, dois dias após o crime. Segundo o delegado de Rio do Sul, Thiago Cardoso, após investigações, os policiais chegaram ao local em que o foragido ficou abrigado até a noite de segunda-feira, uma residência localizada no bairro Sumaré, em Rio do Sul/SC.

“Na madrugada de segunda para terça o autor se deslocou para a cidade de Braço do Norte/SC em um veículo alugado, ficando escondido em uma residência no interior daquele município. As forças de segurança do Alto Vale estavam desde o dia do crime em buscas de informações que levariam ao paradeiro do investigado.

O veículo do suspeito foi encontrado na manhã de domingo abandonado no centro de Agronômica/SC. Trocando informações com policiais civis da Delegacia de Polícia de Braço do Norte, os mesmo conseguiram capturar o foragido na referida residência”, mapeou o delegado de Rio do Sul.

Relembre o caso

Cícera Raquel da Silva estava grávida de sete meses quando foi baleada após uma discussão com o companheiro, que não era pai da menina de um ano. O revolver calibre 38, usado durante o feminicídio, foi encontrado e apreendido. Ele fugiu em um Gol branco que foi abandonado em Agronômica.

Cícera foi encontrada pela Polícia Militar já sem sinais vitais, com ferimento na cabeça. De acordo com a Polícia Militar, populares disseram que o companheiro confessou o crime e fugiu do local antes da chegada do socorro.

O crime ocorreu por volta das 18 horas do sábado, próximo ao centro de Aurora. O prazo para o término do procedimento é de 30 dias, podendo ser prorrogado. O suspeito é natural do estado de Pernambuco e morava na região há 8 anos.