Esporte
Foto: Divulgação - Registro feito após a vitória sobre o Cruzeiro, que fez o Leão da Ilha ser campeão da Copa Nacional Sub-17

A trajetória do Taioense Marcelo Pereira no Avaí Futebol Clube começa a ser escrita com muito esforço, dedicação e títulos. O último foi na tarde de quinta-feira (2), quando o time sub-15 sagrou-se campeão Estadual 2017, diante da Chapecoense. Pereira estava como auxiliar técnico do time. Ele saiu de Taió, onde já trabalhava com categorias de base e foi para Florianópolis cuidar das categorias sub-11 e sub-13 do time da capital catarinense. Pereira explica que depois dos 13 anos, os meninos passam a só jogar no campo.

“Os integrantes dessas categorias de base jogam futsal e campo, porque em Santa Catarina o futsal é muito forte. Nas cidades pequenas, não haverá time de campo, mas terá de futsal. Então é mais fácil levar atletas para o clube através do futsal, migrando para o campo”, explica. Depois, ele passou a treinar a categoria sub-15, passou para auxiliar técnico da categoria sub-20 e continuou treinando os 11 e 13.

A oportunidade chegou quando Pereira assumiu como técnico da categoria sub-17, utilizou alguns atletas que já havia treinado e venceu a Copa Nacional Sub-17, em cima do Cruzeiro, por 2 a 1. A partida em Belo Horizonte foi no início do ano. No fim deste mês, o clube enfrenta o Internacional de Porto Alegre, na final do Sul Brasileiro, com garotos sub-16. Além dos campeonatos, o treinador conta que o trabalho mais difícil é observar garotos que passam pelo clube, são mais de 500 atletas por ano.

“A cobrança no sub-17 é bem maior, o nível das competições também é alto”, relatou o treinador. Inclusive, muitos jogadores podem ser experimentados na equipe principal, que atualmente disputa a Série A do Campeonato Brasileiro. Para o futuro, Marcelo acredita que ainda permanecerá no Leão da Ilha. “Estou vivendo um bom momento, hoje eu sou o treinador mais antigo das categorias de base, conquistei um espaço bom e o clube vem gostando do meu trabalho, estou preparado para desafios maiores”.

Pereira acredita que os garotos que começaram no futsal, tem chances maiores nas categorias subsequentes. “Se observarmos os jogadores que disputam a séria A, se destacam os que tiveram na base, o futsal. Um exemplo é o Luanzinho, que é titular e joga a Séria A, foi meu atleta desde os 12 anos”, finalizou. O irmão do treinador, Rafael Pereira é jogador titular do Ceará Sporting Club e disputa a série B do Campeonato Brasileiro. Rafa passou pelo Botafogo do Rio de Janeiro, Chapecoense, Criciúma, Sport de Recife e Náutico.

Alexandre Salvador