Alto Vale

A prefeitura de Rio do Sul está prestes a enviar para o Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) os dados do segundo bimestre de 2020 sobre a arrecadação de tributos como ITBI e IPTU. O município do Alto Vale é um dos que, por fazerem gestão pública digital, conseguiu atender a demanda antes do prazo, prorrogado de abril para julho por causa da pandemia.

A obrigatoriedade da suspensão das atividades presenciais em todo o Estado para combater a disseminação do vírus da COVID-19 gerou um problema para as prefeituras que ainda fazem gestão no método convencional. Como os servidores públicos ficaram em casa, os dados não tinham como ser fechados e enviados pelo módulo tributário do Sistema de Fiscalização Integrada de Gestão (e-Sfinge), que é a ferramenta que o TCE utiliza para acompanhar e fiscalizar a arrecadação dos municípios.

De acordo com o Diretor de Controle Interno da prefeitura de Rio do Sul, Ronaldo da Rocha, a entrega de dados dentro do prazo original só foi possível porque a prefeitura utiliza o Atende.net, o software de gestão digital criada pela IPM Sistemas que funciona totalmente online. “Aqui nós fizemos tudo em home office durante os 21 dias que a prefeitura não abriu por causa da pandemia”, contou.

Pelo mesmo motivo, no Alto Vale, as cidades de Aurora, Ibirama, Laurentino e Presidente Getúlio também resolveram a situação antes do prazo determinado. No restante do Estado seguiram o mesmo exemplo os municípios de Guabiruba, Pinhalzinho, Pomerode, Porto Belo e Presidente Getúlio.

Empresa catarinense, a IPM Sistemas trabalha com soluções digitais para dar mais agilidade, segurança e transparência às administrações públicas, garantindo um melhor atendimento à sociedade. Além de Santa Catarina, o grupo atua no Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.