Alto Vale, Política

A visita do presidente da República, Michel Temer (PMDB), ao Alto Vale do Itajaí, prevista para a sexta-feira (17) não irá mais acontecer. Temer viria para a inauguração das obras de sobrelevação das barragens Sul (Ituporanga) e Oeste (Taió), que receberam recursos da União. Em comunicado oficial o gabinete da presidência informou o cancelamento da viagem.

A data de entrega das obras inclusive foi escolhida para conciliar com a agenda do presidente. Michel Temer viria a Santa Catarina para dois compromissos, o primeiro seria no município de Palhoça, que fica na região da Grande Florianópolis, onde participaria da inauguração de um residencial, às 10h. As obras do condomínio foram feitas através do programa do Governo Federal, ‘Minha Casa, Minha Vida’.

Em seguida, Temer viria para o Alto Vale, região que sobrevoaria de helicóptero para acompanhar a importância do impacto das obras e a necessidade da construção das mini barragens. O presidente aterrissaria em Ituporanga, onde iria discursar na cerimônia de inauguração das obras de sobrelevação e da construção dos canais extravassores das barragens.

O evento seria fechado, uma tenda seria montada no mirante da barragem Sul. Reuniões de cerimonial que estavam agendadas em Ituporanga foram canceladas. O período de cadastramento para profissionais de imprensa participarem da cobertura da vinda do presidente, seria encerrado hoje.

O Governo de Santa Catarina foi informado do adiamento da visita, na manhã desta terça-feira. O motivo não foi especificado. No comunicado, o gabinete da presidência pediu ainda o adiamento da inauguração para o fim de abril.

O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, esteve reunido com o governador Raimundo Colombo, na tarde de ontem, para debater sobre o adiamento. A entrega oficial da obra ainda não tem data definida. As obras já estão concluídas, a Secretaria de Estado da Defesa Civil quer a presença do presidente para reforçar a importância de novos investimentos em prevenção, como as mini barragens em Petrolândia e Mirim Doce.

Manifestações previstas

Pelo menos três mobilizações estavam programadas na região, durante a presença do presidente da República, no Alto Vale. Sindicatos estavam mobilizados para protestar contra a Reforma da Previdência, que vai interferir na aposentadoria dos trabalhadores.

Produtores de cebola também se organizavam para uma manifestação que pedia valorização da cebola nacional, já que a importação do produto da Holanda contribuiu para que os preços despencassem.

O movimento SOS 470 se programava para um abraço coletivo no trevo de acesso a Rio do Sul, na BR-470, como forma de protesto pelo descaso com a manutenção da rodovia federal e o atraso nas obras de duplicação.