Alto Vale
Foto Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

No final de semana a passagem de um temporal causou estragos em todo o estado. Na região do Alto Vale Witmarsum foi uma das cidades mais atingidas. O município foi afetado pelos fortes ventos, chuva e granizo, ainda houveram queda de barreiras, alagamentos e estragos em lavouras, principalmente de tabaco.

Segundo o coordenador Municipal da Defesa Civil de Witmarsum, Maurício Soares, os alagamentos foram pontuais e os trabalhos de limpeza foram voltados à retirada de materiais levados com o vento para o meio da pista. O serviço continua na tarde desta segunda-feira (17). “No final de semana mesmo uma equipe da prefeitura começou a fazer a limpeza da cidade, a retirada de materiais da pista, principalmente da rodovia que dá acesso à cidade, onde acabou descendo muitos materiais, os trabalhos continuam nessa segunda”, explica.

A moradora de Witmarsum Nadir Sacani teve parte da sua casa alagada pela forte chuva e lembra que os bueiros não deram conta da grande quantidade de água da enxurrada, mas felizmente não houve prejuízo, apenas trabalho para fazer a limpeza. Agora ela cobra melhorias na rede de drenagem. “Há cerca de cinco anos solicitei uma obra de troca de bueiros, e nesse final de semana, após a enxurrada solicitei a obra novamente, dessa vez espero que tudo seja resolvido”, disse.

O secretário de Agricultura, Charles Edir Kohlrausc, explica que servidores estão fazendo visitas as propriedades agrícolas para fazer um levantamento dos estragos, especialmente nas lavouras de fumo, e só depois disso avaliar se os produtores precisarão de ajuda. Até o momento não é possível dimensionar o prejuízo.

Além de Witmarsum outras cidades do Alto Vale registram estragos pela passagem do temporal como por exemplo Atalanta, Ituporanga e Chapadão do Lageado onde o  granizo causou estrago em lavouras. Já Ibirama e outros municípios tiveram deslizamentos e quedas de barreiras.

Maior estrago no Meio Oeste

Em todo o estado mais de 30 municípios foram afetados por estragos ambientais e danos materiais. Segundo o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, Honório João batista Cordeiro Jr, os casos mais graves foram nas cidades de Tangará, Água Doce, Vargem Bonita, e outras cidades do Meio Oeste. Nessas regiões as equipes de bombeiros tiveram trabalho intenso para auxiliar a população. “Em um primeiro momento trabalharam bastante as equipes dos Bombeiros Militares ajudando as pessoas. Em um segundo momento as equipes da Celesc, pois muitas residências foram afetadas pelo destelhamento tanto pelo tornado quanto pelo granizo.  Logo em seguida se viu a necessidade de itens de assistência humanitária, colchões, cestas básicas e kits de higiene pessoal que já foram entregues desde sexta à noite”, explica.

O chefe da Defesa Civil ainda alerta para a educação quanto a autoproteção, ele ressalta que as informações sobre cuidados e procedimentos a se fazer em caso de temporais podem ser consultadas no site da defesa civil www.defesacivil.sc.gov.br na aba ‘cidadão’.

Cidade de Ibirama. Foto: Defesa Civil SC