Alto Vale
Foto: Arquivo/DAV

Reportagem:Rafaela Correa/DAV

A retomada das aulas presenciais nesse período de pandemia é um assunto muito discutido por pais e interessados pelo tema. Alguns defendem a volta, outros discordam, mas o fato é que independentemente do momento, escolas, pais e professores precisam estar preparados. Para isso foi criada uma metodologia a nível estadual e que foi repassada para autoridades regionais a fim de proporcionar um retorno seguro às crianças.

Após capacitação regional de 40 horas, a Associação dos municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) ficou responsável por repassar o conhecimento adquirido para membros dos comitês municipais. Para facilitar o entendimento, as 40 horas de curso foram divididas em quatro datas, a primeira ocorreu no dia 7 de outubro através do Canal Amavivídeos, no You Tube. A segunda etapa foi no dia 14 e foram apresentadas as diretrizes sanitárias, pedagógicas, sanitárias para a alimentação, transporte, gestão de pessoas, comunicação e informação, capacitação e treinamento e finanças.

De acordo com a assessora de Educação da Amavi, Tânia Mara Rocha Moratelli, na terceira fase que acontece  amanhã (20), das 13h30 às 17h30, os membros dos comitês serão orientados em relação ao preenchimento do Plano de contingência (Plancon). “A gente vai fazer o preenchimento do Plano Municipal, porque a gente está seguindo uma metodologia do Estado e ela vem com uns modelos de planos e agora mediante as diretrizes e conforme as especificidades de cada região, de cada escola a gente vai construindo os nossos planos dentro da nossa realidade. Ele veio dentro de uma metodologia, onde toda essa equipe cientifica trabalhou e agora a gente vai passar os mesmos conhecimentos que a gente teve”, explica.

Ela conta ainda que após os trabalhos estão sendo desenvolvidos de forma paralela com os planos municipais e os planos escolares. “No dia 26, que é a última etapa, nós vamos deixar isso pronto. Nós vamos fazer o simulado e avaliação de cada plano. Os 28 municípios, quando terminarem de preencher os planos de contingência municipais, elaborados pelo comitê, eles encaminham para a comissão regional, a comissão regional através do checklist vai verificar se tudo está contemplado e automaticamente, se estiver tudo certo ele estará apto a receber o selo de comprometimento de elaboração de acordo com metodologia exigida. A mesma coisa acontece com os planos escolares, mas quem vai verificar os planos escolares são os comitês municipais que vão receber um checklist e vão pontuar os itens dentro do plano”, esclarece.

Segundo Tânia, após o dia 26 até início de novembro, os municípios devem homologar o plano, após homologação mediante a Matriz de Risco, as atividades presenciais poderão ser retomadas ou não cumprindo todas as diretrizes, protocolos sanitários pedagógicos, tudo o que estiver no plano e que vai dar segurança para o retorno das crianças.

“Todas as escolas, tanto municipais quanto estaduais e particulares só podem voltar mediante plano municipal estar homologado e passará também por decreto do governo porque é por força de lei e planos municipais aprovados pelos comitês. O PlanCon municipal vem para a equipe de formadores regionais e depois é homologado e feito decreto pelo prefeito. No Alto Vale estamos no amarelo, podemos voltar, mas só quando os planos estiverem prontos, como a capacitação estará se encerrando no dia 26, automaticamente, no início de novembro estaríamos aptos mediante nosso plano estar cumprido”, finaliza.