Alto Vale
Foto: Sítio Barnabé

Reportagem: Cláudia Pletsch/DAV

Com as restrições impostas para a prevenção ao coronavírus, as praias, bares, casas noturnas e praças se mantiveram fechadas durante muito tempo, e depois de quase sete meses de isolamento social muitas famílias começaram a buscar alternativas saudáveis e que não ofereçam riscos para aproveitar os dias de calor. Essa procura abriu as portas para o turismo rural na região e muitos campings, sítios e pousadas que ficam no interior dos municípios ganharam o público que procura dias de tranquilidade depois de toda a tensão causada pela pandemia.

Duas famílias do Alto Vale nestes últimos meses adequaram o sítio e o camping aos protocolos de segurança para receber pequenos grupos de famílias que buscam as atividades de pesca, trilha, acampamento e interação com os animais. A Morgana Barnabé é administradora do Sítio Barnabé no interior de Rio do Sul, e conta que o local que foi aberto há três meses oferece aos visitantes atividades de camping e lazer com visitação aos animais. Ela diz que a procura pela visitação tem sido grande e que para manter a segurança durante a pandemia são feitos agendamentos com antecedência. “Nós temos um roteiro onde as famílias começam a conhecer e ter contato com os animais como ovelhas, cavalos, pôneis, aves, coelhos e então as crianças adoram, elas podem tratar as aves, recolher os ovos, é uma experiência inigualável. O sítio era dos meus pais e a gente acabou abrindo a visitação para ver se ia ter bastante procura e acabou tendo mais procura do que a gente imaginava, tanto que já estamos providenciando a ampliação”, explica.

Roger Sandro Seula é sócio proprietário do Camping Selin de Prata no município de Lontras, ele conta que há cerca de um ano assumiu a administração do camping que já existe há 20 anos. Roger ainda diz que o público alvo são viajantes que fazem passagem pela região e acabam se hospedando no local, mas que nos últimos meses observou que as famílias do Alto Vale vêm procurado o camping como uma alternativa de lazer segura. “No momento nossa principal atração é o acampamento, nós temos quiosques e chalés, lagoas para pesca e hoje estamos recebendo mais famílias jovens com filhos, temos uma fração um pouco menor de idosos, mas a temporada mais forte é o verão. De dezembro a fevereiro nós chegamos receber pessoas aqui da região, do estado e até de outros estados como São Paulo e Curitiba por exemplo, tem muitas pessoas que fazem percurso de motorhome e bicicleta e acabam visitando os locais da região, mas nos últimos meses vimos que muitas famílias de Rio do Sul tem nos procurado”, comenta.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo de Rio do Sul, Paulo Fiamoncini, conta que visando esse crescimento no setor de turismo da região estão sendo montadas estratégias de incentivo para o setor. “No estado de Santa Catarina o PIB para o setor de turismo representa 12%, então é como se fosse uma indústria sem chaminé, pois esse valor é bem alto, e claro que com a pandemia o segmento hoteleiro e as pousadas foram muito prejudicados. Paralelamente a esses acontecimentos no final do ano passado nós iniciamos aqui na cidade um Plano Municipal de Turismo em parceria com o Sebrae para que a gente possa potencializar as políticas públicas de desenvolvimento econômico aliado ao turismo. Nós sabemos quais são os cinco principais eixos do desenvolvimento econômico em Rio do Sul, o comércio representa 29%, comércio e metal mecânico 25%, o agroalimentar 10%, têxtil 8% e tecnologia de informação e comunicação pouco menos de 4%, estou dizendo isso pois com todo esse estudo a gente está materializando, e quem sabe possamos colocar o turismo entre os cinco primeiros eixos de desenvolvimento aqui de Rio do Sul”, avalia.
Ainda sobre o Plano Municipal de Turismo, Paulo Fiamoncini explica que nas próximas semanas o projeto deve ser apresentado ao Conselho Municipal de Turismo (Comtur), e sendo aprovado deve garantir mais assistência ao turismo do município. “Na última semana estivemos com uma equipe do Sebrae a campo definindo as rotas e roteiros, fomos em aproximadamente 20 estabelecimentos levantando as informações para que a gente acrescente junto ao Plano Municipal de Turismo que vamos apresentar nas próximas semanas ao Comtur, então a gente vai conseguir ser mais agressivo na nossa cidade e colocar para a comunidade rio-sulense onde estão os principais pontos turísticos, de que forma que estão abertos, criar rotas para que as pessoas venham até a cidade e tenham onde ir. Nós estamos no coração do estado e somos um ponto de parada para muitos viajantes”, finaliza.

Camping Selin de Prata