Alto Vale
Foto: Albanir Júnior/DAV

A Assembleia da União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi) do mês de agosto foi uma das mais extensas do ano até o momento. O encontro, que foi realizado em Ibirama, contou com duas palestras, uma sobre políticas públicas e outra sobre o combate às drogas.

O encontro realizado no sábado (26), na Sociedade União, terminou com um longo período em que Ibirama não sediava a assembleia, como lembra o presidente do Legislativo de Ibirama, Valdemar Schaefer. “Já faz mais ou menos uns 12 anos que Ibirama não sediava essa assembleia da Ucavi, é muito importante porque nós discutimos vários assuntos”, disse.

Normalmente a pauta das assembleias é marcada por uma palestra, excepcionalmente esta foi marcada por duas. O deputado estadual Ismael dos Santos (PSD), que preside a Comissão de Combate e Prevenção às Drogas na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) há seis anos, ministrou a palestra Santa Catarina Sem Drogas. Ele apresentou aos vereadores os cinco eixos que são trabalhados pelo Legislativo catarinense. “A prevenção, que é o início de todo processo e que passa naturalmente pela família, pela escola, pelos meios de comunicação. O acolhimento, aí temos o programa Reviver que é fantástico, em parceria com o Governo do Estado e que oferece mais de 700 vagas. A reabilitação, quando esse jovem sai da comunidade terapêutica, quais os vínculos, os laços. A repressão, que não se pode descuidar, e o quinto eixo que é efetivamente ligado ao parlamento, que é a Legislação”, explicou.

O parlamentar lembrou que embora a maior parte das leis sobre drogas sejam de competência nacional, o Estado e o Município também podem atuar. “Há também muito o que se pode fazer tanto na esfera estadual, quanto na esfera municipal no que diz respeito à produção de leis”, acrescentou.

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que é desenvolvido pela Polícia Militar em Santa Catarina nas escolas, foi um bom exemplo citado pelo deputado, que defende a ampliação do programa como forma de acabar ou reduzir o problema. “Quero aplaudir o trabalho da PM pelo trabalho que faz através do Proerd, nesses 20 anos 1 milhão de catarinenses passaram recebendo uma espécie de ‘vacina’ no que diz respeito à prevenção às drogas, é preciso avançar, com Proerd Família, o Proerd na faixa etária de 14 a 15 anos, para que possamos de fato dar maior segurança e evitar o que infelizmente estamos acompanhando, que é a inserção cada vez mais precoce dos nossos jovens no mundo das drogas”.

O professor em Administração Pública da Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc), Leonardo Secchi, que é ibiramense, foi quem ministrou a segunda palestra. Ele abordou políticas públicas e falou sobre o Papel do Vereador no Século XXI. “O vereador tem que defender interesses coletivos, ao invés de defender interesses individuais, tem que compartilhar o poder com mandato transparente, ao invés de fazer um mandato, mais distributivo voltado para a política mais clientelista, fazer cursos de formação como esses da Ucavi que fazem ele ter propostas legislativas melhores”, explicou.

O presidente da Ucavi, Élcio Bonacolsi, reforçou que os temas são importantes para a atividade dos legisladores locais. “Esse é o objetivo da Ucavi, trazer conhecimento, capacitação aos nossos vereadores, as leis mudam frequentemente, os projetos mudam, a gente tem que ter o conhecimento disso para praticar corretamente nos municípios, para fazer um bom mandato”, reforçou.
Durante a assembleia, os vereadores aproveitaram para apresentar as moções de apelo, que são encaminhadas aos governos do Estado e Federal. O prefeito de Ibirama, Adriano Poffo, que já foi vereador, foi o representante da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) no encontro.

Poffo destacou que as demandas lidas e aprovadas através das moções ganham mais representatividade quando apresentadas de forma coletiva. “Fazer uma moção e levar diretamente ao governador, ou a um secretário ou presidente é uma situação, agora aonde nós encontramos aqui 28 municípios, sendo nove ou 11 vereadores cada Câmara, com certeza a força é muito maior, falando politicamente”, afirmou.

Albanir Júnior