Cidade
Foto: Helena Marquardt/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Um hospital que nasceu como casa de parto para atender as mulheres da comunidade e que ao longo de 65 anos de história teve altos e baixos, mas nunca fechou as portas graças ao esforço de inúmeras pessoas. Hoje a unidade vive um outro momento com uma gestão profissional e planos de um futuro ainda mais promissor.  Em virtude da pandemia o aniversário do Samária não pode ser comemorado com uma grande festa, mas a quinta-feira (22) não passou em branco e a celebração foi marcada por homenagens.

Na local da cerimônia, restrita a poucos convidados, fotos antigas e objetos do passado mostravam a longa trajetória do hospital filantrópico fundado e mantido pela Comunidade Evangélica de Rio do Sul. Passado este que foi lembrado com o reconhecimento a dedicação de ex-presidentes do Conselho Diretor, médicos, enfermeiros e outros profissionais que atuam há décadas na instituição.

Pessoas como médico anestesista Aldo Tadeu Osório que trabalha na unidade há 52 anos. “Vim para cá depois de quatro anos de formado. Participei de quase toda a história e fico muito feliz de ver que hoje temos um hospital forte, equilibrado financeiramente e é um hospital que cresceu muito e hoje conta com tecnologia e bons profissionais exercendo um papel fundamental na saúde da comunidade de toda a região”.

A copeira Alzira Maria Nienkotter Ferreira  também lembrou os momentos marcantes que viveu na instituição ao longo de mais de três décadas de atuação no Samária. “Tenho muito orgulho de trabalhar aqui há 33 anos. O hospital para mim é como se fosse minha segunda casa porque é aqui que me realizo. Boa parte da minha história se passou aqui. Foram muitas lutas para levar o trabalho adiante nos momentos de dificuldade, mas hoje estamos felizes de comemorar esses 65 anos e ver que conseguimos dar a volta por cima”, ressaltou.

Em seu discurso o diretor Roberto Ferrari destacou que a história do hospital chega aos 65 anos graças à dedicação de muitas pessoas que nunca permitiram que ele fechasse as portas apenar dos momentos de dificuldade. “Hoje temos que reconhecer o trabalho de cada uma delas e dizer o nosso muito obrigado”.

O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, também prestigiou a cerimônia e fez questão de citar que sua família tem uma relação de carinho com o Hospital Samária que presta um lindo trabalho à comunidade. “O hospital Samária tem uma história com Rio do Sul e com o Alto Vale que deve ser respeitada e valorizada. Tem uma gestão honesta, competente e transparente. Aqui minha mãe trabalhou como enfermeira e tenho muita alegria de dizer isso. Meu pai como deputado federal também destinou recursos para cá e o hospital também é uma parte da história da gente e sempre vou buscar ser parceiro”, disse.

Inauguração da galeria de presidentes e pedra fundamental

No aniversário, além do corte do bolo comemorativo e das homenagens a pessoas que fizeram parte da história do hospital Samária, foi inaugurada a galeria de ex-presidentes da instituição e reinaugurada a pedra fundamental .