Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Em Pouso Redondo um projeto da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) vem promovendo a inclusão, ensino e incentivando a reutilização de materiais que iriam poluir o meio ambiente. Com doações da comunidade, alunos e professores transformam TV’s antigas em camas para pets.

O presidente, Francisco de Assis Sousa conta que a Apae promove a campanha de arrecadação, incluindo as TVs que são desmontadas pelos próprios alunos com supervisão dos professores. “Das TVs a gente vende o cobre, por R$ 35 o quilo, e também a parte interna para o reciclado. O plástico reutilizamos confeccionando lindas casinhas. A TV grande vendemos por R$ 50,00 e a pequena por R$ 40,00”.

Para fazer a transformação que tem feito o maior sucesso na cidade, primeiro os estudantes fazem uma seleção já que algumas TV’S não podem ser aproveitadas. Todo o trabalho é feito em conjunto e cada um realiza uma etapa “Um educando desmonta, outro lixa e outro lava. Já as meninas fazem as almofadinhas e a pintura é feita por voluntários da comunidade porque não temos aqui todo o equipamento necessário”.

Ao todo já foram finalizadas 10 casinhas e outras 20 estão sendo confeccionadas. O interessado em adquirir uma delas pode até mesmo escolher a cor de sua preferência. O valor arrecadado é revertido para manutenção da entidade como compra de material didático, pagamento da energia, água, videomonitoramento entre outras coisas. As encomendas podem ser feitas pelo telefone (47) 99229-4115.

Campanhas de arrecadação

Além das TVs, a entidade promove durante todo o ano campanhas de arrecadação de diversos materiais como vidro, alumínio, ferro e papelão que ajudam na manutenção da Apae, especialmente durante a pandemia. “No ano passado por causa da pandemia não tivemos a oportunidade de estar realizando eventos e nesse contexto a reciclagem está nos ajudando muito. Ela é bem vinda porque o que arrecadamos com a venda desses materiais é pouco, mas ajuda bastante no nosso financeiro”, ressalta Francisco.

Ele reforçou ainda o pedido de doações da comunidade. “Por isso pedimos sempre para a comunidade que nos ajude doando materiais recicláveis e ainda ajude a natureza que está sendo beneficiada”.