Cidade, Educação
Foto: Arquivo DAV

As unidades de ensino infantil de Rio do Sul reabrem no dia 19 de janeiro, depois de 10 meses sem atendimento presencial. Com a aprovação da lei estadual 18.032/2020 que considera a educação como atividade essencial, fica autorizado o retorno das atividades nas unidades de ensino públicas e privadas. A experiência já será colocada em prática através do Programa CEI 12 Meses, que tem uma demanda menor neste período do ano mas, fundamental para pais e mães que não tem férias. Ainda não existe data para o retorno das aulas do ensino fundamental na rede municipal.

 

Para o atendimento, foi realizado pesquisa com os pais que demonstrassem real interesse e necessidade de deixar as crianças sob cuidados, sendo que aproximadamente 860 estão inscritas. Com a pandemia do coronavírus, não é obrigatório levar a criança até a unidade, mas é fundamental que toda criança esteja matriculada, dentro do que prevê o Estatuto da Criança e Adolescente.

 

Em Rio do Sul as crianças serão atendidas em 15 polos, sendo que alguns deles terão a atividade centralizada de outras unidades. Há ainda aqueles CEIs que não terão atendimento por não haver demanda.

 

O investimento para que o retorno das atividades fosse possível vai desde a compra de 12,7 mil máscaras, 5,5 mil frascos de álcool em gel, 40 tapetes sanitizantes, 70 termômetros, além da confecção de materiais de orientação fixados nas unidades e cartilhas que podem ser distribuídas para todos os alunos.

 

A Secretária de Educação, Janara Mafra entende que é um bom momento para propor a abertura das unidades, sendo que a demanda é menor e é necessário que o município um dia retorne as atividades nas escolas. “Todas as medidas sanitárias exigidas pelos órgãos reguladores foram seguidos e cada escola teve que elaborar um Plano de Contingenciamento, já avaliado por um comitê municipal de gerenciamento da pandemia, formado por entidades, responsáveis pela educação e sociedade civil”, comenta.

 

O critério é que o atendimento do CEI 12 meses é que a criança tenha a idade de seis meses a seis anos e já tivesse matriculada na rede municipal no ano passado. A família tem que ter feito a reserva da vaga para o período.

 

Esta será a primeira experiência da rede municipal em reabrir uma unidade de ensino desde o início da pandemia. E a secretária Janara considera que, dentro de toda a situação de orientação, medidas sanitárias e de equipamentos, tanto as crianças como professores e funcionários estão seguros. “O planejamento está feito e chegou o momento de colocá-lo em prática. Seremos bastante rigorosos quanto às orientações e logicamente, podemos ter alterações ao longo do tempo. Mas é importante que trabalhamos muito e vamos ficar muito atentos com relação à saúde de nossas equipes de trabalho e das crianças”, ressalta a secretária.

 

Polos de educação abertos a partir de 19 de janeiro

– CEPLAS

Atendimento para crianças do CEPLAS e Ilse Soldatelli

– CEI Pref. Danilo Lourival Schmidt

Atendimento para crianças do CEI Pref. Danilo Lourival Schmidt e CEI Pref. Matheus Alves Conceição

– CEI Prof. Dóres Janke Stüpp

Atendimento para crianças do CEI Prof. Dóres Janke Stüpp e CEI Ruth Schroeder Ohf

– CEI Cinderela

Atendimento para crianças do CEI Cinderela, CEI Exp. Augusto Bosco, CEI Raio de Luz e CEI Shirley Dolores Sedrez

– CE Sebastião Back

Atendimento para crianças do CE Sebastião Back e CEI Favinho de Mel II

– CEI Favinho de Mel I

Atendimento para crianças do CEI Favinho de Mel I e CEI Adelaide Ledra

– CEI Prof. Belmarli da Silva

Atendimento para crianças do CEI Prof. Belmarli da Silva, CEI Canta Galo, CE Daniel Maschio e CEI Cantinho do Amor

– CE Ricardo Marchi

Atendimento para crianças do CE Ricardo Marchi, CEI Navegantes, CEI Guilherme Butzke e CEI Cobras

– CEI Pinguinho de Gente

Atendimento para crianças do CEI Pinguinho de Gente e CE Ulrich Hübsch

– CEI Dr. Romão Trauczynski

– CEI Francisco Fleiser

– CE Aníbal de Barba

– CEI Titio Karan

– CEI Padre Ângelo Moser

– CEI Egídio Dalmarco