Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O Município de Rio do Sul assinou no mês de novembro um convênio com a Clínica Escola de Fisioterapia do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi). Através da parceria, alguns pacientes já estão sendo atendidos e beneficiados pelos serviços feitos pelos alunos das fases finais acompanhados de seus professores. A maior demanda da Secretaria de Saúde será encaminhada a partir de 2022.

O coordenador do curso, Luis Otávio Matsuda, fala da importância do convênio para a população e também para o desenvolvimento profissional dos alunos. “Para o paciente, ele vai ter além de um fisioterapeuta, especialista, um mestre, doutor, o que é raro em atendimentos clínicos da região”, comenta.

A clínica vai atender através do convênio todos os tipos de demandas, mas ele deixa claro que por ser uma clínica escola há um limite. “A clínica acaba oferecendo o serviço de atendimento à população, não somente a parte pediátrica, mas as especialidades gerais de fisioterapia. De acordo com a demanda existente, nós temos um limite porque a clínica é escola e não é específico para crianças, mas atende crianças de certa faixa etária que a Secretaria encaminha. Os atendimentos já estão ocorrendo esse ano e voltaremos em 23 de janeiro de 2022”.

Matsuda comenta que o convênio com a prefeitura atende diversos tipos de pacientes estáveis, ambulatoriais, pós-cirúrgicos, de joelho, por exemplo, e recuperação covid-19.

“Nosso carro-chefe é a fisioterapia ortopédica, seguido da parte de reabilitação cardiopulmonar o qual temos um projeto que atende pós-covid, seguidos de trabalho de portadores de câncer de mama e modo preventivo e fisioterapia esportiva onde atendemos na parceria, atletas da Fundação Municipal de Desportos. Temos também um convênio com a Fiocruz, fazemos parte da rede covid e temos pesquisadores trabalhando com a rede covid junto com outras universidades do estado, Brasil e mundo”, explica.

A partir do próximo ano, uma nova disciplina será incluída nos atendimentos, a neuropediatria e crianças com determinadas necessidades também poderão receber o atendimento.

“A parte de neuropediatra a turma entrará no semestre que vem, o atendimento em grupos que acabam sendo encaminhados via Secretaria de Saúde. Colocamos algumas observações, como o tipo de paciente, que seriam pacientes estáveis que acabam necessitando de atendimento. Estão vinculados também os acadêmicos a participarem desse atendimento junto com um profissional fisioterapeuta habilitado que é da instituição em horário de aula”, destaca.

Ele explica também que a clínica de fisioterapia conta com a ajuda dos acadêmicos e professores. Desde o início, os alunos já podem acompanhar os atendimentos para entender como eles são feitos e prepará-los para o mercado de trabalho.

“Uma das mudanças que realizamos no curso é que os alunos acompanham desde o início os atendimentos dos fisioterapeutas, que vão aprendendo aos poucos através de atividades prática”, completa.