Cidade, Política
Foto: Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

O vereador Moacir Vieira (MDB), eleito em Rio do Sul com 806 votos no dia 15 de novembro falou ao DAV sobre seus principais projetos e ações para os próximos quatro anos. Ele também fez um parecer sobre os primeiros trabalhos na Câmara e revelou seus objetivos na vida política. Um dos principais diferenciais do político é o mandato compartilhado, que promete unir cerca de 100 pessoas para ajudar a decidir sobre os projetos que chegam no Legislativo.

Desde o início do mandato, no dia 04 de janeiro, o vereador diz que os principais trabalhos são de análise de propostas e fiscalizações. Ele conta que as demandas de fiscalização são principalmente para obras em estradas e pavimentação. Outro trabalho desenvolvido desde o início do mandado é um projeto para reciclagem de lixo, que deve ser lançado em breve como proposta.

Moacir diz que trabalha em parceria com outros vereadores e a busca por emendas parlamentares é a principal atividade que deve desenvolver junto aos colegas do Legislativo. “Eu e o vereador Nilso Crispi estamos fazendo uma parceria para engrandecer nosso trabalho junto ao MDB que é o nosso partido e vamos atuar juntos em diversos projetos. A gente até já foi atrás de algumas emendas parlamentares juntos, conseguimos uma emenda para um novo carro para a Apae e então estamos correndo atrás”, revela.

De acordo com o vereador um dos principais diferenciais da sua gestão é a aposta do mandato compartilhado. “O mandato compartilhado nada mais é que as pessoas farão o mandato junto comigo, vai ser um grupo de pessoas que já temos montado, 100 pessoas que atuam em diversos segmentos, como presidentes de associação de moradores, comerciantes entre outros e a partir de segunda-feira eles começarão a decidir junto comigo, todos os projetos que eu colocar no grupo e decidir como a maioria do grupo decidir. A gente quer dar empoderamento para as pessoas, para que elas também tenham poder de decisão”, justifica.

Questionado sobre a vontade de entrar na política, o vereador diz que atuou muitos anos na comunidade e que ouvir os anseios da população foi um dos motivos para procurar uma vaga no Legislativo. “Fazia 20 anos que eu estava envolvido em uma comunidade, sempre trabalhando em prol dela. Fui presidente de APP, fui coordenador administrativo de paróquia e de mais algumas associações e chegou num momento em que o convite para a vereança veio muito forte”, comenta.

Sobre a vitória, ele comenta que trabalhou pelo resultado e que atuará não somente como vereador de um bairro, mas de toda uma cidade. “Foi uma felicidade e também uma reponsabilidade muito grande, se a gente trabalhava em prol de uma comunidade, agora a gente vai trabalhar por uma cidade com 78 mil habitantes então hoje eu não vou somente ser um vereador, mas vou estar como vereador por quatro anos”, finaliza.