Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O vereador Nilso Crespi, do MDB, cobrou nesta semana a retirada do Centro Pop da rua XV de novembro, no bairro Laranjeiras em Rio do Sul. Segundo ele a estrutura voltada ao atendimento de pessoas em situação de rua acabou se tornando um problema e a própria população pede a transferência.

Ele comenta que essa é uma reivindicação antiga dos moradores e que é feita a ele com frequência. “Recentemente tivemos ali o projeto Gabinete nos Bairros e de 60% a 70% das reivindicações dos moradores atendidos por nós era pedindo a retirada”.

Nilso comenta que o principal motivo é que os moradores em situação de rua acabam abordando as pessoas em frente as lojas pedindo dinheiro, dormindo nas calçadas e até fazendo sexo ao ar livre em locais de grande circulação, situações denunciadas até mesmo através de vídeos publicados nas redes sociais.

“Eles ficam ali na frente porque lá dentro não há um local adequado, a estrutura física não comporta. Eles tomam café de manhã, saem, ficam esperando até meio dia para pegar a marmita e voltam à tarde para tomar café. Se houvesse um local mais amplo eles poderiam ficar lá dentro, tendo atividades que ajudem na sua recuperação e volta para a sociedade”.

O vereador disse ainda que já teve participou de uma reunião sobre o assunto com o secretário da Assistência Social, Ricardo Pinheiro, mas enquanto o problema não é solucionado continua sendo cobrado pela comunidade. “Eles nos cobram diariamente. O Centro Pop fica colado a uma loja, bem próximo a uma escola e as crianças passam na frente e eles fazendo coisas obscenas ou brigam entre eles. Também ficam sentados bem em frente ao portão da creche e precisamos unir forças, comunidade e poder público para oferecer um local adequado para atender melhor esses moradores de rua”, disse.

O que diz a prefeitura?

Em nota a prefeitura de Rio do Sul afirmou que a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social vem estudando alternativas sobre a estrutura física para atendimento a pessoas em situação de rua, visto que quandoo Centro Pop foi implantado no referido local a situação era outra. “Quando falamos nesse público, várias áreas estão envolvidas, podemos citar assistência social, saúde, segurança pública entre outras, mas tudo vem sendo debatido para que a comunidade tenha mais segurança ao passar pela região”, diz o texto.

A prefeitura legou também que a solução do problema não é simples. “Sabe-se que não há solução fácil para a questão do atendimento às pessoas em situação de rua, muito embora a Prefeitura de Rio do Sul venha atuando constantemente para na elaboração de políticas públicas de acolhimento e encaminhamento destas pessoas. Diversos serviços são ofertados, tratamento para suas dependências, busca de vínculos com a família, inclusive com oportunidades de qualificação e trabalho”, disse.