Sem categoria
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Marcos Norberto Zanis (PSD) foi o vereador mais votado de Rio do Sul. Ele, que vai cumprir o segundo mandato consecutivo, foi a escolha de 1.708 eleitores que confiaram em seu trabalho para os próximos quatro anos. Em entrevista exclusiva ao DAV ele contou que trabalhou para ficar entre os mais votados, mas diz que ficou surpreso com a primeira colocação.

“Trabalhamos durante quatro anos na Câmara e agora para dar continuidade a esse trabalho. Minha expectativa era ficar entre os três primeiros e tive uma votação muito expressiva. Agradeço a população que nos confiou mais essa oportunidade, a equipe que estava junto comigo sem a qual não conseguiria chegar a esses resultado, aos familiares, amigos e ao doutores Paulo Cunha e Paulo Vitor que nos apoiaram”, conta.

Ele comentou ainda que na campanha não conseguiu visitar todas as casas que gostaria, mas contou com a equipe e amigos para fazer as visitas e pedir votos até mesmo através das redes sociais e aplicativos. “Eles mandavam mensagens e os projetos. Minha campanha não foi baseada em promessas, mas sim de mostrar o que eu já tinha feito nos últimos quatro anos e o que poderia continuar fazendo como vereador”, ressalta.

Como presidente da Câmara de Vereadores ele lembra que fez um enxugamento da máquina pública e terá como foco essa continuidade. “Nesse mandato eu consegui fazer 40 projetos e destes 23 foram de pessoas que vieram conversar com a gente, não em benefício próprio, mas sim pensando no coletivo”, afirma.

Ao falar sobre a renovação, já que apenas ele foi reeleito porque o vereador Eroni acabou assumindo a vaga nesse mandato porque era suplente, ele elogiou o trabalho dos colegas. “Muitos não conseguiram chegar, mas fizeram um excelente trabalho, bons projetos e bons mandatos e tenho que reconhecer, mas essa renovação é uma decisão da população”, opina.

Nome a disposição para presidência da Câmara

Como o vereador mais votado, Marcos Zanis teve o nome credenciado para assumir a presidência da Câmara, mas diz que a decisão será conjunta. “Vou colocar meu nome a disposição, mas iremos ouvir todos os vereadores e entrar num consenso do que é melhor para a Câmara de Vereadores. Quero conversar com eles e chegar a uma decisão”, finaliza.