Alto Vale
Foto: Helena Marquardt/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Após mais de um ano e meio sem ver os familiares, os detentos do Presídio Regional de Rio do Sul vão poder ter novamente contato com os entes queridos. É que com a melhora da pandemia e conclusão do esquema de vacinação de boa parte da população, as visitas presenciais serão retomadas no fim de semana.

Suspensa desde o início da pandemia, a visita presencial entre o interno e seu familiar terá um regramento específico, definido pela Central Covid-19 e Sala de Situação da Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), onde foram consideradas todas as características e especificidades das unidades. O novo protocolo também foi validado pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes).

Segundo o diretor do Presídio Regional de Rio do Sul, Nei Feuzer, a principal exigência para as visitas é a vacinação completa, sendo as duas doses ou dose única, tanto para o detento quanto para o familiar. “De acordo com a portaria que estabelece as novas regras, o preso terá direito a uma visita mensal, seja presencial ou virtual e que deve ser agendada no setor social da unidade”, explicou.

Para ingressar na unidade o visitante terá sua temperatura aferida e será verificada a ausência de sintomas que caracterizam a Covid-19. Já durante a visita, o preso e o familiar deverão manter o distanciamento social de 1,5 metro, o uso de máscara de proteção e a realização de todos os procedimentos padrão de higienização pessoal. Com o retorno, o presídio também deve intensificar os procedimentos de sanitização dos espaços de visitação.

De acordo com a portaria, a liberação do acesso também pode mudar levando em conta fatores como a Matriz de Risco de todas as regiões, análise divulgada todos os sábados pela Secretaria de Estado da Saúde e ainda o número de casos ativos de Covid-19 na unidade.

A duração do encontro entre o reeducando e o familiar será de 30 minutos nos níveis grave e alto e de uma hora no nível moderado. Já nos presídios localizados em regiões classificadas como risco potencial gravíssimo não será permitida visita. Caso ocorra um surto da doença na unidade, o acesso também será suspenso independente da classificação.

Nei comenta que a expectativa é de tranquilidade no retorno. “A maioria dos familiares ainda estão preferindo a visita virtual porque há uma série de exigências da portaria, inclusive na questão de comprovar a vacinação, então creio que teremos a visita de uma forma diminuída inicialmente, mas vamos seguir para tentar trazer a rotina normal de visita presencial sempre atendendo as legislações sanitárias”, completa o diretor.

A portaria do Governo do Estado ainda prevê liberação de aulas presenciais, atividades laborais externas e entrada de religiosos nas unidades.
Mesmo com a possibilidade de ser presencial, o encontro virtual será mantido, pois durante o período de isolamento total das unidades a SAP acredita que ele mostrou-se como uma importante ferramenta de aproximação entre interno e familiar. Por isso, nas unidades prisionais, as visitas poderão ocorrer de forma presencial ou virtual, sendo possível apenas uma modalidade por mês e um familiar por interno.