Política
Foto: Alan Garcia/DAV

Helena Marquardt/DAV

Em seu terceiro mandato como prefeito de Agrolândia, José Constante, tem mostrado que a experiência na administração facilita o trabalho no início de uma nova gestão, e apesar de estar há poucos dias comandando o Executivo já conseguiu vencer um grande desafio: que é garantir que o hospital do município permaneça de portas abertas.

“Na saúde um dos desafios era a nossa Fundação Hospitalar Alex Krieser, o nosso hospital , mas conseguimos montar uma diretoria que tenho certeza que dará conta do recado, das demandas da população”, revela.

Ele ressaltou a importância de a cidade ter uma unidade para fazer o atendimento. “Se olharmos apenas custo talvez seria mais barato fazer o transporte para outros locais, mas não podemos ver isso como custo e sim como um investimento”, completou.

Ele afirma ainda que a Saúde é uma das três secretarias, junto com a de Educação e de Obras e Infraestrutura que já possuem definição de secretários. Nas demais a escolha dos nomes deve ocorrer até o início de fevereiro. “Estamos discutindo com bastante calma, escolhendo nomes não políticos, mas técnicos e até o dia primeiro de fevereiro já teremos essa definição para que essas pessoas já comecem a atuar em suas secretarias”, falou.

Ele diz que outro grande desafio da sua terceira gestão é em relação ao enfrentamento a pandemia e volta às aulas. “Nossa expectativa é o retorno das aulas. A Secretaria de Educação está focada para que a partir do dia 18 de fevereiro as aulas regulares voltem, a não ser que aconteça alguma alteração do decreto com novas exigências da Secretaria de Estado de saúde ou Ministério da Saúde, que possa ter algum impedimento, mas este é um grande desafio porque será tudo novo: como os professores, coordenadores, famílias e alunos vão estar se habituando para que possamos voltar com os cuidados e segurança necessária para que ninguém se contamine e não haja prejuízo à saúde”, completa.

A intenção também é estruturar melhor a Defesa Civil para que o setor trabalhe a prevenção e prejuízos sejam evitados. ”Queremos estruturar nossa Defesa Civil para planejar e evitar grandes desgastes, grandes prejuízos com as catástrofes climáticas”, completa.

Diálogo com empresas

No setor de desenvolvimento ele garante que já iniciou o diálogo com algumas empresas para que elas invistam no município e possam gerar novos empregos em Agrolândia. “Novas fontes de renda para a nossa economia e isso está acontecendo em paralelo a todos os desafios que enfrentamos”, finaliza.